Morte durante o concurso público: descubra quando acontece e o porquê

Morte durante o concurso público: descubra quando acontece e o porquê

Para a maioria dos concursos públicos, em especial, nas carreiras policiais, além da prova teórica, você deve se submeter ao teste de aptidão física — TAF.

Assim, é exigido alto nível de desempenho físico, porque o TAF requer um grande preparo físico dos candidatos.

Além do esforço físico, os candidatos também são submetidos à intensa pressão psicológica na realização desses testes.

Infelizmente, pode acontecer casos de mortes em concursos, em especial, na realização do TAF.

A seguir, confira mais detalhes sobre a morte em concurso público e veja como se prevenir!

Atestado médico

Para serem aptos a realizar o TAF, o candidato deve fornecer um atestado médico descrevendo que o candidato está em perfeitas condições de saúde para as exigências físicas do exame.

Essa exigência tem como principal objetivo prevenir que candidatos que não estejam em condições de saúde física venham a sofrer acidentes durante a realização do exame, seja um mal-estar ou, até mesmo, a morte no concurso público.

Em geral, o atestado é fornecido por um médico clínico geral. Entretanto, alguns concursos exigem que este documento seja fornecido por um médico cardiologista, sendo que cada concurso fornece um modelo de atestado a ser entregue.

O documento deve ser carimbado e assinado por um médico com CRM válido, constando os dados pessoais do candidato.

Além disso, também se exige que o documento tenha sido emitido com, no máximo, 30 dias de antecedência da data da realização do exame.

Situações de fatalidade que causam morte em concurso público

As fatalidades durante a realização dos testes de aptidão física podem ocorrer, resultando em lesões que podem variar de leves a graves.

Essas fatalidades não são raras como se pensa e, também, ocorrem por razões variadas, como uma predisposição genética desconhecida pelo candidato ou mesmo um mau funcionamento do corpo em relação ao esforço.

O intenso esforço físico imposto pode ser um gatilho para condições prévias que não apresentavam sintomas, já que todos nós estamos sujeitos às imprevisibilidades da vida.

Por isso, mesmo que um candidato seja jovem, é necessário fazer todos os exames prévios.

A ingestão de bebidas energéticas e suplementos termogênicos, conhecidos como “pré-treino”, também pode desencadear problemas cardíacos. Em principal, naqueles indivíduos que não têm por costume a ingestão dessas substâncias.

Assim, essa aceleração artificial pode desencadear situações desastrosas, incluindo a morte do candidato no concurso público.

Como funciona o TAF?

Os exames de aptidão física, em geral, são muito parecidos. Os exercícios mais recorrentes são:

  • Corrida em 12 minutos, em que a distância percorrida varia de 2 a 3 quilômetros, conforme o sexo e idade do candidato;
  • Abdominais, exigindo-se uma certa quantidade a ser realizada em um curto período;
  • Flexão no solo, que requer força física e resistência dos membros superiores;
  • Barra fixa dinâmica ou estática em que o candidato deve ser apto a erguer o próprio peso do corpo com a força dos membros das costas.
  • Alguns concursos exigem, ainda, a realização do exame de natação em 50 metros.

Durante o TAF, que é geralmente realizado ao ar livre sob o sol, a temperatura do corpo do candidato sobe bastante, somando-se ao baixo consumo de água e perda de aminoácidos.

Além disso, há que se considerar o preparo psicológico do candidato, já que a pressão emocional pode levar a uma sobrecarga de adrenalina, colaborando com os demais fatores para ocorrência de fatalidades.

Essas condições ambientais e físicas são fatores que, somados à genética do próprio ser humano, podem provocar a morte, mais frequente durante a corrida.

Pode ocorrer morte súbita ou complicações que podem levar a morte em um certo período, como é o caso da rabdomiólise.

Rabdomiólise X TAF

Existe uma relação conhecida pelos médicos entre o TAF e rabdomiólise, existindo diversos casos em que o candidato morre fazendo o TAF em decorrência dessa condição.

A rabdomiólise é a ruptura de um músculo esquelético já avariado, causando a liberação de mioglobina na corrente sanguínea. 

Por sua vez, o excesso de mioglobina pode resultar em dano ao fígado e insuficiência renal. Os sutis sintomas dessa condição podem incluir:

  • Fraqueza nos músculos
  • Fadiga
  • Dor
  • Febre
  • Náusea
  • Confusão mental
  • Agitação

Assim, exercícios intensos, como são os do TAF, são causas recorrentes de rabdomiólise em que o candidato acaba morrendo durante o TAF.

Casos de morte em concurso público durante o TAF

Há diversos casos de rabdomiólise durante a realização de concursos públicos, existindo diversos exemplos em que o candidato morre fazendo TAF.

No ano de 2012, um candidato a soldado da PM da Bahia veio a óbito após realizar os testes físicos, sendo a suspeita da causa da morte a ocorrência de um quadro de rabdomiólise.

Em 2014, um candidato a PM do Piauí sofreu várias lesões musculares durante a realização do TAF, quadro que evoluiu para rabdomiólise e ocasionou a morte dele.

Já em 2019, um jovem de 29 anos também faleceu em decorrência de rabdomiólise, enquanto outro de apenas 25 anos também teve o mesmo fim ao realizar um teste de aptidão física para a Guarda Municipal de BH.

Prevenção de morte em concurso público

Para prevenir fatalidades como estas ocorram, devem ser adotadas medidas preventivas, não só por parte do candidato, como também da banca examinadora.

Ao candidato, é cabível que se prepare de forma prévia e segura à realização do teste físico.

Você deve ter certeza que está adaptado às condições que irá enfrentar, praticando com bastante antecedência os exercícios físicos que lhe serão impostos.

Além disso, é importante se alimentar bem e, inclusive, ingerir bastante líquido antes e depois da prova, para que seu fígado filtre de maneira satisfatória as proteínas musculares.

Outro aspecto que deve ser considerado é não burlar os exames médicos requeridos. Assim, tendo certeza que está realmente preparado para o que vai enfrentar. 

À banca examinadora, cabe disponibilizar equipe médica que possa atender prontamente em casos em que os candidatos passam mal.

Além disso, também é importante disponibilizar uma ambulância para conduzir os candidatos ao atendimento hospitalar especializado de forma rápida e eficiente.

Conclusão

Entendemos agora que existem diversos fatores que podem levar à morte do candidato em concurso público, em especial, durante a realização do teste de aptidão física.

Os fatores são biológicos, ambientais e também químicos, sendo importante considerar e adotar medidas preventivas para evitar a ocorrência de fatalidades.

Essas medidas devem ser observadas não só pelo candidato, se preparando física e mentalmente, como também pela banca examinadora, responsável por disponibilizar pronto atendimento médico.

Tem mais dúvidas sobre o assunto? Comente abaixo.

Agnaldo Bastos
Agnaldo Bastos

Advogado especialista em ajudar candidatos de concursos públicos que sofrem injustiças e, também, servidores públicos perante atos ilegais praticados pela Administração Pública, atuando em Processo Administrativo Disciplinar (PAD) e em Ações de Ato de Improbidade Administrativa.

Artigos Relacionados

Descubra novos conteúdos relevantes para você!

Clique aqui para receber conteúdos exclusivos e fique por dentro dos melhores assuntos sobre concursos públicos e direitos dos candidatos.

Acesse nossas Redes Sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos

Pesquisar

Pesquisar

Últimos Artigos

Você quer falar com um Advogado Especialista sobre seu caso?

Clique no botão abaixo para você enviar sua situação e seja atendido pela equipe do escritório Agnaldo Bastos Advocacia Especializada. Informe seus dados corretamente caso deseje contato de um especialista em concurso público, servidor público e direito militar.

Receba nossos informativo pelo celular.

Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa Política de Privacidade, por isso convidamos você a conhecê-la: Política de Privacidade

Seja bem-vindo, ao navegar em nosso site você concorda com a nossa Política de Privacidade, por isso convidamos você a conhecê-la: Política de Privacidade
Cadastre-se para receber nossos informativos gratuitamente.