Como funciona a prova oral no concurso público?

Como funciona a prova oral no concurso público?

Todos os candidatos já se perguntaram como funciona a prova oral no concurso público. Essa é a fase mais temida dos certames, e não é para menos. 

Por isso, separei todas as informações e as principais dicas para você ser aprovado sem grandes dificuldades. Confira.

Prova oral nos concursos

O que mais deve te assustar em uma prova oral é o fato de ela ser um tanto quanto imprevisível. Diferente da prova escrita, o exame oral não te dá tempo para pensar e os ensaios, por vezes, não se mostram muito úteis.

Você pode perder as palavras, ter aquele famoso branco na mente ou mesmo travar. O pior de tudo é que o medo de que tudo isso aconteça é o maior responsável por tudo isso acontecer.

Concursos para as cadeiras de juiz, procurador, promotor, delegados e outros cargos exigem a prova oral, e esse pode ser o seu caso.

Por isso, separamos todas as informações sobre a prova oral para que você se prepare, além de dicas fundamentais para você ficar tranquilo na hora da avaliação.

Como funciona a prova oral no concurso público?

A banca é composta por professores que fazem perguntas sobre os temas pertinentes à vaga. São em geral de 2 a 4 professores avaliando você.

Você será avaliado com perguntas específicas ou mesmo tendo de falar sobre um determinado assunto. Esteja pronto para ambos os tipos de apresentação.

Contudo, vale lembrar que os temas costumam ser os mesmos cobrados na prova escrita. Por isso, ao dominar os assuntos do certame, você fica em dia para se dar bem na prova oral do concurso.

Saiba que, nesse momento, sua calma, desenvoltura, fluidez e segurança serão avaliados também. Dessa forma, é preciso entender os temas de fato e não apenas decorar. Reforce tudo isso na etapa de estudos.

Há algumas regras para a realização da prova:

  • Toda a prova é arquivada em forma de áudio ou vídeo;
  • De modo algum os candidatos poderão arquivar as provas de outros colegas, nem assisti-las;
  • Os exames são feitos em turnos, e durante a espera é proibido o uso de qualquer material de anotação ou consulta;
  • Cada candidato tem 60 minutos para ser avaliado;
  • Além disso, as vestimentas adequadas são necessárias. Terno e gravata para homens e roupas sociais para as mulheres.

Essas são as regras básicas. No entanto, elas podem variar ou sofrer alteração de banca para banca e de cargo para cargo. Por isso, quando abrir o seu edital, esteja atento.

Como passar na prova oral?

Com certeza, a calma é a chave para passar em qualquer teste. Isso porque sem ela, mesmo sabendo todo o conteúdo e sendo a pessoa mais preparada da turma, você pode pôr tudo a perder.

Pode parecer clichê, mas a verdade é que isso só se tornou um clichê por ser totalmente verdade. 

Por isso, se você se considera ansioso ou perde o controle em situações de pressão, considere incluir a terapia no seu processo de preparação para o concurso.

Essa é a melhor forma de tirar do seu caminho um grande empecilho que pode, sozinho, acabar com as suas chances de aprovação.

Como manter a calma em uma prova oral?

Para você fugir dos erros mais comuns, separamos uma lista completa com os pontos mais importantes sobre a prova oral. Veja a seguir.

Seja claro e objetivo: mesmo que você fique com os nervos à flor da pele, tente não delongar. Dessa forma, você pode se atrapalhar, confundir e esquecer muita coisa. Por isso, dê respostas curtas, objetivas e logo em seguida, justifique. Conclua com segurança e aguarde as próximas questões.

Postura: mantenha sempre o respeito e com linguagem coloquial. Lembre-se sempre que tudo se trata de pessoas. Seu trabalho será com pessoas e, no momento, você está sendo avaliado por pessoas. 

Sendo assim, deixe que a conversa flua com os professores e busque sempre mostrar que você está preparado. 

Atitudes: a avaliação sobre o seu conhecimento é feita na prova escrita e é justamente para isso que ela serve. Por isso, a prova oral serve para examinar a sua postura diante de pressão.

Sendo assim, seja empático, se vista bem e se expresse da melhor forma que puder. Além disso, invista em aulas de oratória como parte da preparação para o certame.

É possível reverter a eliminação na prova oral?

Sim. Existe uma chance através de um recurso administrativo. Isso porque os critérios de avaliação oral são subjetivos, e nesse caso você pode se sentir prejudicado.

Assim, você pode pedir o recurso para a própria banca, que deve ser respondido dentro do prazo do seu edital.

Além disso, você mesmo pode fazer a solicitação para a banca. Contudo, o ideal é que você tenha o respaldo de um advogado especialista na área. Ele poderá te orientar e dizer se é viável pedir a revisão ou não.

Por fim, saiba que essa é a única forma no momento de conseguir uma possível reversão na decisão da banca, pois não existe uma forma de apelação, uma vez que o julgamento não cabe ao Poder Judiciário.

Seja como for, a ajuda de um advogado será fundamental para saber qual caminho percorrer.

As provas orais em concursos vão acabar?

Muitas opiniões rondam a necessidade e as regras do exame oral em concursos. Isso ocorre porque os critérios muitas vezes podem não ser justos, uma vez que podem fugir da lisura e moralidade.

Por isso, existe um projeto de lei que visa proibir os exames orais em concursos, o Projeto de Lei 2.140/2003 e 997/2007, que tem como objetivo eliminar qualquer favorecimento na etapa oral do processo.

Contudo, enquanto a lei não vigora, o ideal é se preparar com as dicas acima e, em caso de reprovação, recorrer com a ferramenta existente hoje.

Por último, mas não menos importante, veja algumas dicas adicionais que vão te ajudar a se sentir pronto:

  • Trabalhe para demonstrar segurança;
  • Exercite a respiração e a dicção;
  • Faça simulados;
  • Conheça a banca que vai te examinar;
  • Se acostume com a linguagem correta;
  • Treine a fluência verbal;
  • Mantenha a coerência e o raciocínio durante a prova;
  • Vista-se de acordo para aumentar a autoconfiança e a credibilidade perante a banca.

Como em qualquer outra etapa, não existem milagres ou truques. É preciso se preparar e manter a calma.

Além disso, uma vez que a prova escrita serve para cobrar de fato o conteúdo, a prova oral segue outros critérios, e agora você sabe disso.

Por fim, vale lembrar que muitos candidatos não são aprovados de primeira. E se por acaso esse for o seu caso, não desista. Afinal, a cada nova tentativa, você estará mais preparado em relação à concorrência.

Não desista dos seus sonhos e boa sorte!

Agnaldo Bastos
Agnaldo Bastos

Advogado especialista em ajudar candidatos de concursos públicos que sofrem injustiças e, também, servidores públicos perante atos ilegais praticados pela Administração Pública, atuando em Processo Administrativo Disciplinar (PAD) e em Ações de Ato de Improbidade Administrativa.

Leia mais artigos

Acompanhe nossas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja bem-vindo(a)! Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa Política de Privacidade, por isso convidamos você a conhecê-la: acesse aqui.